terça-feira, 8 de setembro de 2015

O VINHO E A SAÚDE

O texto a seguir foi extraído do livro Tradição, conhecimento, e prática dos vinhos de autoria de Danio Braga e Celio Alzer. Danio foi o fundador da ABS -Associação Brasileira de Someliers e Celio o criador do Master of Wine (O Jogo do Vinho). Ambos são cobras em matéria de vinho.

            "Para que o vinho possa exercer uma ação benéfica sobre o organismo humano, deve ser bebido em doses moderadas. Não existe um consenso em relação à quantidade que pode ser consumida diariamente, mas a maior parte dos estudiosos considera razoável a dosagem de um grama de álcool por quilo corpóreo. Isso significa quase UM LITRO DE VINHO POR DIA, se o vinho tem 10º alcoólicos; ou uma garrafa de 750 ml, se se trata de um vinho de 13 gl, para uma pessoa de 70 kg.
            Por questões genéticas, certos indivíduos produzem maior quantidades de enzimas que combatem a ação do álcool. Pessoas mais acostumadas a beber são resistentes ao álcool. Bebendo lentamente, o álcool é melhor tolerado. Bebendo-se durante as refeições, o organismo tolera melhor os efeitos do álcool. Indivíduos com atividade sedentária são mais suscetíveis à ação do álcool.
           Bebido em quantidades moderadas, o vinho aumenta o apetite, favorece as funções digestivas e exerce um efeito sedativo e antidepressivo. Possui ainda ação vasodilatadora, diurética e hepatoprotetora. Aumenta a resistência capilar e tem um efeito antivirótico, exercido pela concentração dos taninos. Protege contra a arterioesclerose e incrementa a produção de colesterol HDL. É um estimulante respiratório e benéfico para as coronárias.
          Os vinhos brancos são mais apropriados para pessoas de pressão baixa e calmas; por sua vez, os tintos favorecem os indivíduos de pressão alta e mais agitados.
         Os diabéticos podem consumir vinho normalmente, desde que secos. Aliás para essas pessoas o álcool do vinho é muito útil, seja como fornecedor de calorias -que o diabético não pode buscar no açúcar-, seja porque sua necessidade calórica é satisfeita sem que tenha que recorrer a
insulina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário