sábado, 13 de julho de 2013

COMO UMA PESSOA DESCOBRE O VINHO?

 O caso do carioca Pedro Mundim.

             "A paixão pelo vinho não me foi transmitida por meus pais; eu a descobri tardiamente, na idade madura, quase por acaso, com o despertar de uma atração atávica e irresistível, que não sei bem explicar. Tive que viajar para aprender a gostar de vinho, uma viagem de negócios para o extremo oriente. Na verdade, não precisei chegar a meu destino; a revelação deu-se ainda no avião. Explico: pela primeira vez em minha vida, eu viajava pela classe executiva, a passagem fora paga pela parte contratante, e tive a chance de provar vinho de qualidade superior que era servido ali, em generosa quantidade. 

           "De início, meu paladar obtuso mal notou qualquer diferença em relação aos vinhos de supermercado que eu provava raramente. Mas, quanto às sensações que eram produzidas, a diferença era, esta sim, enorme. Experimentei uma vertigem, um bem-estar, um frêmito em minha atividade intelectual aliado a um aguçamento de minha sensibilidade, que me fez por algumas horas achar poético o que era prosaico.                (...)

          "Desde então tornei-me um apreciador de vinhos. A humanidade já conhece o vinho há sete mil anos. Eu compreendo o motivo de tão duradoura paixão da raça humana por essa bebida: Para uma vida curta, bruta, de lutas, sofrimento e trabalho árduo, o vinho era a única fonte de alívio para os dissabores, a única diversão, a única fonte de encorajamento, e mais do que isso, era o único antisséptico, o único anestésico, o único calmante, o único sonífero, às vezes o único alimento. Servia até para matar a sede, como acontecia nas caravelas que descobriram o Brasil, que carregavam tantos barris de água quanto de vinho. Explica-se: a água apodrecia nos barris de madeira e causava diarréia nos marinheiros, ao passo que o vinho suportava bem melhor a viagem. Era também com o vinagre fervendo que se desinfetava o chão imundo de excrementos do porão dos navios, e se assegurava um mínimo de condições de sobrevivência aos tripulantes. Teria sido descoberto o Brasil, se não fosse o vinho?


Fonte: pedromundim.net. Excerto editado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário